Feirantes de Vilhena se reúnem com a Prefeitura para definir detalhes de novo formato das feiras

Mais faturamento: reunião inicia fase de mudanças que poderão potencializar vendas para os feirantes

Na manhã desta segunda feira, 18, o auditório da Prefeitura recebeu feirantes para a 1ª Reunião de Planejamento das Feiras Municipais. Com o objetivo de melhorar a organização e harmonia das feiras, a reunião iniciou com a apresentação de alguns modelos de organização, boas práticas que servem de exemplos e são práticas já utilizadas em feiras de outras cidades. Num segundo momento foi apresentado alguns exemplos dos que acontecem nas feiras de vilhena e que precisam de mudança.

O objetivo do evento foi estabelecer um novo formato para as feiras da cidade. Entre os pontos discutidos estão a organização e padronização das feiras, bem como o decreto que regulamenta as feiras e exigências que serão cobradas pela fiscalização. “Antes que as ações de punição comecem, serão feitos treinamentos e trabalho de conscientização para melhorar o padrão de qualidade dos produtos apresentados nas feiras e garantir a segurança dos consumidores. Estamos juntos com o feirante para que ele possa vender ainda mais”, explicou Elói Maria.

 

No encontro estavam também a vice-prefeita, Maria José, o secretário municipal de Agricultura, Elói Maria, o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Marcondes Cerutti, a secretária de Meio Ambiente, Marcela Almeida, o diretor geral do Saae, Maciel Wobeto, o coordenador de fiscalização da Vigilância Sanitária, Alfredo Guancino Júnior, além dos vereadores Wilson Tabalipa e Vera da Farmácia, assim como equipe técnica da secretaria de Agricultura, que é responsável pelas feiras municipais hoje.

 

FATURAMENTO – Apresentando feiras com ótimas práticas e que geram bons lucros para os pequenos produtores, a Secretaria de Agricultura demonstrou que algumas cidades chegam a faturar vários milhões por ano no setor através de padronização dos serviços.

 

Ainda acontecerão outras reuniões e treinamentos, bem como discussões entre os próprios feirantes sobre necessidade de formar entidades com CNPJ exclusiva dos feirantes para tratar de assuntos relacionados aos vendedores junto ao poder público. “O foco desta primeira reunião é mostrar que podemos fazer melhor com o que temos, só precisamos nos organizar melhor. Cultivando novos hábitos, teremos melhores condições e práticas”, reforçou Elói Maria.

 

As mudanças são também um desejo do prefeito Eduardo Japonês, que vê com bons olhos o potencial econômico das feiras livres em Vilhena. “Temos um mercado hortifruti muito promissor na cidade. Os vendedores podem alcançar um público ainda maior se profissionalizarmos de fato o ambiente, a negociação, os cuidados higiênicos e a organização dos feirantes. Precisamos da ajuda deles para implantar tudo isso, mas é assim que poderemos avançar”, concluiu.