Escolas municipais de Vilhena usam internet para manter vínculo com os alunos durante pandemia

Através da internet, professores estimulam interação sem perder o desenvolvimento pedagógico das crianças

Com a prorrogação da suspensão das aulas na rede municipal de Educação por mais 15 dias, através do decreto municipal de n° 48.858, os educadores de Vilhena têm utilizado novas formas para manter vínculo com os alunos durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19).
Com criatividade e auxílio de ferramentas digitais, através de aplicativos e redes sociais, os professores da Educação Infantil e Ensino Fundamental têm elaborado vídeos, textos explicativos, áudios e arquivos com atividades para estimular a interação entre alunos, pais e responsáveis sem perde o desenvolvimento pedagógico das crianças.
“Estamos vivendo algo novo, então sugerimos que a Educação municipal de Vilhena buscasse ferramentas que pudessem colaborar com continuidade do aprendizado dos nossos alunos. Através da internet, professores enviam conteúdos e orientam os pais para que as crianças realizem as atividades em casa”, explicou o secretário municipal de Educação, Willian Braga.
Na Escola Municipal Felipe Rocha, assim como nas demais unidades de ensino, os professores têm utilizado grupos na rede social WhatsApp para manter contato com a turmas de alunos. Pelo aplicativo, os pais retornam aos professores fotos e vídeos das crianças realizando as atividades propostas.
Já na Escola Municipal Bianca e Leonardo, além dos grupos de WhatsApp, a equipe escolar também está disponibilizando apostilas com atividades na unidade de ensino. Segundo a vice diretora, Gelci Brizolla, as entregas são previamente combinadas pelo WhatsApp, sendo realizadas por vez para evitar aglomerações. “Essa também é uma forma de auxiliar os alunos que não têm meios de realizar a impressão do conteúdo em casa”, comentou.
A coordenadora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Márcia Sechenel, salienta que este é um movimento para manter o vínculo escolar de forma espontânea e opcional para ajudar os 12 mil alunos que estudam na rede.

Semcom