PM de São Paulo prende acusado de participar da morte de Dorothy Stang


A prisão ocorreu no interior do estado após denúncia

Completam dez anos do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang. Na foto, o túmulo de Dorothy Stang, em Anapu (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil – São Paulo
A Polícia Militar de São Paulo informou que prendeu em Itapetininga, interior do estado, um dos acusados de envolvimento no assassinato da missionária Dorothy Stang. O crime contra a religiosa norte-americana ocorreu em 2005 em Anapu, no oeste do Pará.

Segundo a corporação, a prisão foi feita após o recebimento de uma denúncia de que o suspeito tinha sido visto no bairro de Vila Nova. De acordo com os policiais, ele estava em frente a uma casa e tentou fugir quando percebeu a presença das viaturas. No interior da residência foram encontrados documentos falsos.

Na delegacia foi confirmado que havia um mandado de prisão contra o acusado emitido em 2013, em Marabá, no Pará. A reportagem da Agência Brasil entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo que não divulgou o nome do preso.

O crime
Dorothy Stang foi assassinada com seis tiros, em uma estrada rural de Anapu. Conhecida por defender, junto com representantes de sindicatos rurais e da Pastoral da Terra, melhores condições de vida e de trabalho para a população da região, a missionária estava a caminho do Projeto de Desenvolvimento Sustentável Esperança, do qual era considerada uma das principais líderes, quando foi morta.

Edição: Lílian Beraldo

Dorothy Stang missionária norte-americana