“Junte eu e o Mandetta e divida por dois”, diz Bolsonaro a Teich


O chefe do Executivo ainda agradeceu ao ex-ministro Mandetta pelo trabalho prestado e voltou a defender a reabertura de comércios
IS Ingrid Soares

(foto: SERGIO LIMA/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediu na manhã desta sexta-feira (17) em solenidade de posse do novo ministro da Saúde, Nelson Teich, que ele encontrasse um meio termo nas questão do combate ao novo coronavírus.

“Todos nós, em especial o Mandetta, torcemos pelo seu sucesso porque o seu sucesso poupa vidas, poupa pessoas que possam ser jogadas ao desemprego e poderá, ao nosso entender, buscar uma alternativa para isso. Junte eu e o Mandetta e divida por dois. Pode ter certeza que você vai chegar naquilo que interessa para todos nós. Nós não queremos vencer a pandemia e daí chamar o Dr. Paulo Guedes para solucionar as consequências de um povo sem salário, sem dinheiro e quase sem perspectiva em função de uma economia que a gente vê que está sofrendo vários reveses”, apontou Bolsonaro.

Bolsonaro defende fim do isolamento: “Se agravar vem para o meu colo”
O chefe do Executivo ainda agradeceu ao ex-ministro Mandetta pelo trabalho prestado e voltou a defender a reabertura de comércios. “Eu tenho certeza que o Mandetta deu o melhor de si para atingir os seus objetivos e eu agradeço Mandetta, do fundo do coração. Aqui não tem vitoriosos nem derrotados. A história lá na frente vai nos julgar e eu peço a Deus que nós dois estejamos certos lá na frente. Então, essa briga de começar a abrir para o comércio é um risco que eu corro porque se agravar vem para o meu colo. Agora o que eu acredito e que muita gente já está tendo consciência é que tem que abrir. Hoje mesmo, acreditando na imprensa brasileira, vi uma matéria que 50% dos prefeitos estão divididos no tocante a abertura. Até pouco tempo, era 100% contrário ou 99%. Eu tenho certeza que eles sabem dessa necessidade”.

Bolsonaro disse estar ciente do risco da medida. “Essa briga de começar a abrir para o comércio é um risco que eu corro porque se agravar vem para o meu colo. Agora, o que eu acredito e que muita gente já está tendo consciência é que tem que abrir. Hoje mesmo, acreditando na imprensa brasileira, vi uma matéria que 50% dos prefeitos estão divididos no tocante a abertura. Até pouco tempo, era 100% contrário ou 99%. Eu tenho certeza que eles sabem dessa necessidade”, concluiu.