ANP ‘peita’ a Justiça e insiste em favorecer distribuidores; não permite que produtor de etanol venda direto aos postos


BRASÍLIA – Derrotada na Justiça Federal, que autorizou usinas de três Estados a vender estoques de etanol diretamente aos postos, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) não abre mão do cartório que criou para seus amigos das distribuidoras/atravessadoras. O esquema é perverso: a ANP obriga as usinas a venderem seu etanol somente às distribuidoras, mas as autorizou a não comprar o produto. Ao mesmo tempo, proíbe as usinas de vender o etanol já produzido a outros, incluindo postos, por exemplo.

Resolução muito suspeita da ANP, de 2009, criou o cartório que obriga produtores de combustíveis a venderem os produtos só às distribuidoras.

A resolução é muito suspeita porque distribuidoras/atravessadores não agregam valor aos combustíveis, que assim chega mais caro ao posto.

ANP não abre mão do cartório que criou para seus amigos das atravessadoras de combustível

As distribuidoras/atravessadoras só produzem notas fiscais e escândalos de corrupção, como mostraram inúmeras operações da Polícia Federal.

Fonte: diariodopoder.com.br