ALE se rebela contra governador e anuncia “trancamento” de pauta; deputados querem flexibilização do comércio

Prefeitos também estão se insurgindo contra a decisão de Marcos Rocha
Photo of Rômulo Azevedo Rômulo Azevedo1 julho, 2020 3 Menos de um minuto
Sessão da ALE-RO – foto: Marcos Fiqueira
A Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE-RO) anunciou na manhã desta quarta-feira, 1, que a casa de leis “trancou” a pauta para os projetos e propostas do Governador Marcos Rocha (sem partido). A decisão, proposta pelo presidente, Laerte Gomes (PSDB) e acatada pelos edis, é uma represália à decisão do governador em conjunto com o prefeito da capital, Hildon Chaves (PSDB) durante audiência pública com o judiciário.

Na prática, a portaria conjunta número 11 está em vigor a partir desta quarta-feira e restringe o funcionamento de diversos setores comerciais. Os deputados querem a revisão da lista dos municípios inseridos na portaria (são 24 no total) e não gostaram do fato de o governador ter tomado a decisão sem consultar a ALE.

Nos municípios, o clima de insurgência contra o posicionamento do governador também é grande. Em Cacoal, por exemplo, a prefeita Glaucione Rodrigues (MDB) anunciou que irá solicitar do governo do Estado a retirada do município da lista uma vez que o número de infectados ativos no município (aqueles que podem transmitir a doença) é baixo.

Em Vilhena, o prefeito Eduardo Japonês (PV) também informou que irá solicitar a retirada do município da lista por discordar com as restrições comerciais. Os prefeitos de São Miguel e Nova Mamoré também já se pronunciaram oficialmente contra a medida.

Veja os municípios que estão inseridos na portaria conjunta número 11 aqui

Conheça as restrições estabelecidas pela portaria aqui