Operação Egos-Pótamos: advogados suspeitos de facilitar trocas de informações com PCC tem aparelhos apreendidos

Dois advogados suspeitos de facilitar informações entres membros de facções tiveram celulares, notebook e tablets apreendidos na 2ª fase da operação

O mês de julho começou com a 2ª fase da operação Egos-Pótamos nesta última quarta-feira,01, cumprindo 27 mandados de prisão preventiva e 7 mandados de busca contra membros de facções criminosas na capital do Estado.

A ação foi executada pela Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Contra a Vida – DECCV em parceria com a Delegacia Especializada em Repressão a Crimes contra o Patrimônio (PATRIMÔNIOS) e com a Delegacia Especializada em Repressão aos Furtos e Roubos de Veículos Automotores – DERFRVA.

Foi cumprido o mandado de prisão preventiva contra Tainara A. C. de 21 anos, suspeita de participar de dois crimes hediondos na zona sul de Porto Velho. Um deles é a morte de uma adolescente de 16 anos e o assassinato de Rubem Ariel da Silva Souza, 18 que foi decapitado devido brigas entre as facções criminosas. Os inquéritos distinguiram que as ordens para estes crimes vieram de dentro do presídio, levando assim, o mandado de prisão preventiva contra outros apenas que estão à disposição da justiça.

Também entre as 34 medidas judiciais, foi concedido pelo juiz da 1ª Vara do Tribunal do Juri, Áureo Virgílio Queiroz, o pedido da Delegada Leisaloma Carvalho pela busca e apreensão na residência de dois advogados investigados pela suspeita de envolvimento na facilitação de troca de informações entre integrantes do PCP, se comunicando e repassando informações para integrantes da facção que estão presos, inclusive, por meio de aplicativo WhatsApp. Na residência dos mesmos foram aprendidos Celulares, notebooks e tablets.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PCRO