Imagens fortes revelam sessão de espancamento à qual homem que confessou assassinato de idosos foi submetido

Circulam nas redes sociais imagens fortes da sessão de espancamento aplicada por detentos no homem que confessou o assassinato de Dionelia e Eldon Mai, casal de idosos moradores de Colorado D’Oeste. As agressões aconteceram no Presídio da cidade, nesta quarta-feira (08 de julho), para onde ele tinha sido transferido.

Nas fotografias é possível ver que o homem foi fortemente agredido em diversas regiões do corpo. O detento ficou com ferimentos graves, um deles na região das costelas. Ele foi atendido no Hospital de Cerejeiras, e depois retornou para o Presídio de Colorado D’Oeste.

REPERCURSÃO

(Foto: Reprodução)

O crime bárbaro praticado contra dois idosos moradores da cidade acabou repercutindo não só nos meios de comunicação regionais, como também no nacional. O país todo acompanhou, através de jornais como o Cidade Alerta e o SBT Notícias, os detalhes do assassinato de Dionelia e Eldon Mai.

A crueldade do crime chamou a atenção, já que o assassino teria amputado quatro dedos da vítima Dionelia, em uma tentativa de realizar saques por biometria (relembre aqui). Além disso, a frieza com que o homem agiu ao planejar o caso e usar a boa vontade das vítimas para atraí-las até o local do assassinato foram motivo de revolta.

Nas redes sociais, o caso está tomando proporções gigantescas. Muitos grupos têm compartilhado a imagem do casal assassino, das vítimas e até mesmo informações pessoais. A situação gerou conflito, já que por Lei é proibido divulgar informações de pessoas consideradas como suspeitas do crime.

SUSPEITO OU ACUSADO?

Apesar de ter confessado o crime, o casal ainda é considerado suspeito do assassinato, aos olhos da justiça. Para serem colocados no banco dos acusados, eles precisam serem denunciados pelo Ministério Público. Depois disso, precisam serem julgados para serem considerados culpados.

No entanto, até serem culpados totalmente do crime, terão que passar por todas as instancias legais (já que podem recorrer no Tribunal de Justiça, ainda podendo recorrer em Brasília).

E embora tenham confessado, judicialmente falando, o casal ainda é enquadrado como suspeito do assassinato de Dionelia e Eldon Mai. Porém, com provas testemunhais, físicas e a própria confissão dos suspeitos, a absolvição do crime pode ser considerada inexistente.