Ex-presidentes do BC e ex-ministros da Fazenda lançam carta por retomada verde na economia

Fernando Henrique Cardoso, Armínio Fraga, Ilan Goldfajn e Pedro Malan estão entre os que endossam medidas ambientalmente sustentáveis
Thais Carrança
SÃO PAULO
Após pressões de investidores internacionais e empresas brasileiras, um grupo formado por ex-ministros da Fazenda e ex-presidentes do Banco Central do Brasil se une nessa terça-feira (14) às reivindicações por uma retomada da economia no pós-pandemia atenta às mudanças climáticas e pelo fim do desmatamento na Amazônia e no Cerrado.

O grupo assina uma carta conjunta. Entre os signatários estão o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Armínio Fraga, Ilan Goldfajn, Joaquim Levy, Persio Arida, Pedro Malan, Nelson Barbosa, Henrique Meirelles, Alexandre Tombini, Eduardo Guardia, Gustavo Krause, Gustavo Loyola, Luiz Carlos Bresser-Pereira, Maílson da Nóbrega, Marcílio Marques Moreira, Rubens Ricupero e Zélia Cardoso de Mello.

A carta reúne responsáveis pelas políticas econômica e monetária do país que vão do governo José Sarney a Dilma Rousseff, passando por Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

“O momento é de sofrimento e angústia para todos. A perda de emprego e renda é uma realidade que aprofundará a desigualdade social. Os efeitos de longo-prazo da pandemia serão severos, inclusive devido ao contexto fiscal ainda mais desafiador”, afirmam os signatários da carta. “Mas a crise também abre a oportunidade de convergirmos em torno de uma agenda que nos possibilite retomar as atividades econômicas e, simultaneamente, construir uma economia mais resiliente ao lidar com os riscos climáticos e suas implicações para o Brasil.”

Conforme os ex-ministros, os custos de descuidar de eventos climáticos poderão ser bem maiores do que os da atual pandemia. “O governo tem um papel essencial em alinhar incentivos e expectativas, criando um ambiente favorável à ação sustentável do setor privado e do mercado”, alertam.

https://www1.folha.uol.com.br/