Em Vilhena, PRF identifica 11 pessoas em situação análoga à escravidão

FONTE: PRF POLÍCIA

Foto: PRF/Divulgação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Vilhena, em atividade na BR-364, identificou na última sexta-feira (14) um grupo de 11 trabalhadores em condições que, segundo a lei, caracterizam trabalho escravo.

Durante fiscalização de enfrentamento ao crime em região de fronteira, um caminhão que adentrava ao estado foi abordado. Em um compartimento escondido, medindo apenas 3 metros quadrados, 11 pessoas eram transportadas. A viagem iniciou no estado do Ceará, passando pela Paraíba e tinha como destino final Rio Branco/AC.

O motorista afirmou que o grupo de trabalhadores foi recrutado para vender panelas e que cada um receberia R$ 3 mil mensalmente. Uma das pessoas resgatadas afirmou aos policiais que, na verdade, eles recebiam apenas uma comissão sobre a venda das panelas, sem direito a salário fixo ou qualquer direito trabalhista. Disse também que eles dividiam o espaço de 3 metros quadrados para viajar e também para dormir, normalmente em postos de gasolina ou parada para caminhoneiros.

O caso foi encaminhado à Polícia Federal.