Em clima de campanha, Bolsonaro elogia ministra e busca apoio do agronegócio

Em Corumbá, Bolsonaro inaugura radar da FAB, novamente em clima de campanha, derrama palavras positivas para Tereza Cristina, que estaria sendo cogitada para ser vice na chapa que concorrerá à reeleição, e busca apoio do produtor do campo

Ingrid Soares
(foto: Carolina Antunes/PR)
Em cumprimento a mais uma etapa de sua agenda político-eleitoral de viagens, o presidente Jair Bolsonaro esteve ontem em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, onde participou da solenidade de inauguração da estação radar da Força Aérea Brasileira (FAB) que auxiliará no controle de tráfego aéreo na região fronteiriça entre o Brasil e a Bolívia. O clima de palanque ficou evidente ao derramar elogios à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, possível concorrente a vice na chapa de Bolsonaro pela reeleição. Ele a parabenizou pelo trabalho e a classificou como “orgulho do agronegócio” no Brasil.

“Parabéns pelo trabalho maravilhoso que você faz à frente do Ministério da Agricultura, inclusive abrindo fronteiras para além da América do Sul”.

Bolsonaro lembrou que o agronegócio do país vem batendo recordes. “Cada vez exporta mais. Os portos do Brasil, também, ao longo dos últimos cinco meses, têm batido recordes mês após mês de exportação daquilo que produzimos no campo. O agronegócio é a locomotiva da nossa economia. Podemos viver sem muita coisa, mas ninguém vive sem comida”, apontou.

O presidente conseguiu introduzir a pandemia no discurso, ao dizer que “o homem do campo não parou de trabalhar, não teve lockdown e o índice de morte foi o mais baixo levando em conta os demais setores”.

Com a popularidade em alta puxada pelo pagamento do auxílio emergencial de R$ 600, a estratégia do presidente agora é aproveitar a boa maré para ampliar a base eleitoral em áreas que não estão fechadas com ele e não deixar escapar aquelas que já lhe deram a vitória –– como o Centro-Oeste. O tom mais diplomático é para mostrar serviço entregando obras e fortalecer as chances de reeleição. Tendo como um dos conselheiros o ex-presidente Michel Temer, até as entrevistas na saída do Palácio da Alvorada foram suspensas para evitar falas polêmicas e atritos.

Depois da ativação da estação radar de Corumbá, o presidente visitou o 9º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC), em Nioaque, onde serviu como tenente.

correiobraziliense