Prefeitos sao transferidos para Capital e Inquérito da PF se encerra nesta sexta feira

Na tarde desta quinta-feira (01), foi transferida para Porto Velho a ex-deputada e atual prefeita do município de Cacoal, Glaucione Rodrigues.

Além da prefeita, outros três prefeitos e um ex-deputado estadual alvos de mandados de prisão preventiva também foram transferidos para a capital a aproximadamente 479 quilômetros de Cacoal. De acordo com a PF, as investigações iniciaram em 2019 e constataram indícios de corrupção através de recebimento de propinas para a contratação de serviços públicos.

Inquerito da PF encerra nesta sexta feira e até o fechamento dessa edição  nenhuma prova contra Glaucione foi encontrada. Caso não seja acusada formalmente sera inocentada no processo

Eles chegaram agora a pouco em Porto Velho e foram para o IML fazer exame de corpo e delito, atendendo a uma determinação da justiça para que os mesmos não possam interferir nas investigações mesmo estando presos.

Glaucione Rodrigues foi eleita prefeita em 2016 com quase 20 mil votos, o que equivale a 44,90% dos votos e disputou a prefeitura com outros cinco adversários. No auge de sua vida pública, transformou Cacoal em um canteiro de obras nunca visto, com obras por todos os bairros e distritos de Cacoal. Muito querida pela população, era cotada para ser reeleita com facilidade em Cacoal.

Graças à sua atuação à frente da administração, Cacoal foi destaque em avaliação do Tribunal de Contas do Estado-RO em relação ao quesito transparência e anticorrupção, com a nota 98,5.

Esses dados foram divulgados em novembro de 2019, em avaliação dos quesitos transparência e anticorrupção e o TCE-RO aprovou, por unanimidade, as contas dos exercícios 2017 e 2018 administração da prefeita Glaucione Rodrigues. Na transparência a nível nacional, com a avaliação feita pelo Ministério Público Federal (MPF), a Prefeitura de Cacoal alcançou o primeiro lugar no Estado e o 15º no ranking nacional.

A nota atribuída pelo órgão de controle externo de Rondônia é uma das mais altas do país, 98,05. Em 2016, a nota dada pelo Tribunal de Contas do Estado foi de 3,75. No ano seguinte subiu para 91,91, e o novo avanço revela ainda mais ações com foco na transparência. Já a nota do MPF subiu de 3,0 para 9,6, no ano passado.

O principal diferencial é a transparência nas contas públicas, processos e divulgação de informações à comunidade no portal da Transparência. A prefeita destacou-se em seus esforços para que todos os servidores cumprissem a lei e, principalmente, possibilitar que a população tivesse acesso às informações do município. “É uma gestão de transparência e lisura nos processos públicos”, disse em uma das entrevistas.

Em destaque no cenário nacional, a Prefeitura de Cacoal foi convidada, através da Controladoria Geral do Município, para participar em Brasília, em dezembro de 2019, de um Fórum Nacional de Combate à Corrupção, promovido pela CGU.

ARMAÇÕES POLÍTICAS

Em Cuiabá, o prefeito que é candidato a reeleição, Emanuel Pinheiro (MDB), passa por situação parecida com a da prefeita de Cacoal. Foi denunciado quando era ainda deputado estadual por receber maços de dinheiro do ex-chefe de gabinete do governador que supostamente seria de propina. O prefeito diz que seus opositores usam esse episódio para promoverem suas campanhas eleitorais e sujarem sua imagem. “Estou terminando o meu mandato, nenhuma mácula. Nada, nada, nada, que afete uma gestão popular. Cuiabá é um canteiro de obras”, afirmou durante entrevistas.

E até hoje não foi comprovado que realmente o dinheiro seria de propina, tanto é que o prefeito foi eleito em 2016 mesmo preso e é o favorito para ser reeleito.

QUEM É GLAUCIONE RODRIGUES?

Glaucione é funcionária pública no município de Cacoal. Foi concursada em 1994 como datilógrafa. É formada em Letras e tem pós-graduação em administração hospitalar e em gerenciamento de Unidade Básica de Saúde, além de ter formação em Direito.

Foi secretaria municipal da saúde em Cacoal de 1994 a 1996. Assumiu novamente em 2001 e em 2002. Glaucione também foi adjunta da Secretaria Municipal da Saúde em Ariquemes no período de 2001 a 2002. Foi eleita vereadora em 2000, para um mandato de quatro anos. No ano de 2010 foi eleita deputada estadual, e em 2014, foi reeleita, sendo a segunda mais bem votada do estado de Rondônia. Em 2016 foi eleita prefeita de Cacoal.

Um mulher que tem 26 anos de vida pública sem nenhuma mácula, a não ser esse episódio do vídeo que foi amplamente divulgado em rede nacional, mas que pessoas ligadas a ela afirmam que não foram divulgados na íntegra com seus áudios.

“A prefeita assumiu uma prefeitura falida, sem maquinários, com unidades de saúde e escolas destruídas, estradas vicinais e ruas da cidade intrafegáveis. Transformou a cidade em um canteiro de obras, ruas que se tornaram “tapetes” e falam com irresponsabilidade que ela é corrupta. É mais uma maldade que nós de Cacoal não merecíamos passar. Eu acredito que ela vai provar sua inocência”, finalizou um morador que não quis ser identificado.

Fonte:portalrondoniadenoticias.com.br