Preso diz que recebeu R$ 50 para furtar comitê político em Jipa

Ao assistir as imagens do ocorrido, os agentes reconheceram um dos envolvidos pelo fato de ele já ter várias outras passagens

Ezaquiel disse ter recebido R$ 50 para ajudar a praticar o furto

Através de imagens de segurança a Polícia Civil reconheceu um dos criminosos que entrou e furtou uma caixa com “santinhos”, alguns notebooks, botijão de gás e documentação de doação de campanha, em um comitê político, na noite do último domingo (18) , em Ji-Paraná.

Após a Polícia Civil receber o registro de ocorrência do furto na segunda-feira (19), deu-se inicio às investigações. Ao assistir as imagens do ocorrido, os agentes reconheceram um dos envolvidos pelo fato de ele já ter várias outras passagens pelo mesmo tipo de crime.

De imediato, os agentes procuraram o acusado que deu seu relato a respeito do furto. Segundo ele, um homem, na noite de domingo, passou na boca de fumo onde ele fazia uso de drogas e ofereceu R$ 50 paras quem fosse com ele “buscar uma parada”, que seria furtar o tal comitê. Ele, se dizendo necessitado “da grana”, aceitou o desafio e foi.

Chegando ao local, Ezaquiel de Sá disse que a porta estava aberta e que seu “desconhecido” comparsa falou para ele pegar uma caixa e carregar, e ele assim procedeu.

Ezaquiel relatou aos policiais que não chegou a ver os tais notebooks registrados no Boletim de Ocorrência como tendo sido levados.

Até o momento a Polícia conseguiu encontrar apenas parte dos santinhos que foram furtados. Essa pequena quantidade estava na “boca de fumo” onde Ezaquiel foi chamado para praticar o furto.

Ezaquiel disse ainda que não conhece o tal homem que o chamou para praticar o furto, e que após a ação criminosa, não o viu mais.

A Polícia está trabalhando para localizar esse segundo envolvido na situação do furto para que alguns questionamentos sobre o assunto sejam respondidos. A investigação está sendo conduzida pelo delegado Rildo Maciel, chefe da Delegacia de Furtos e Receptação.