Dr. Paulo Henrique percorre zona rural e enfatiza prioridade ao homem do campo

Em sua primeira candidatura, o advogado e jornalista Paulo Henrique, 36 anos, se prepara para emplacar sua vitória no pleito eleitoral municipal. Sai dos bastidores da política para lutar pelos produtores rurais, categoria esquecida pelo poder público.

A caminhada política não inicia agora, mas há 14 anos atrás quando aceitou o desafio de trabalhar como assessor de imprensa na gestão da ex-prefeita Sueli Aragão, onde conviveu diretamente com a realidade dos cacoalenses que vivem na zona rural.

“Sou apaixonado por produtores rurais, a garra que esses homens e mulheres lutam todos os dias, as dificuldades para escoar suas produções, as estradas vicinais sem trafegabilidade, temos que mudar essa realidade e dá mais qualidade para os serviços, essa será uma das minhas prioridades na Câmara de vereadores, lutar junto com cada um deles”, disse.

A agricultura é um setor importante da economia, pois não gera apenas empregos por meio rural, mas também é responsável pela produção de alimentos com respeito ao meio ambiente, o que agrega valor.

Para Paulo, a organização do setor é fundamental para o fortalecimento dos diversos elos da cadeia. Todos têm um papel, poder público, indústria, comércio, “e agora eles poderão ter um verdadeiro respresentante para cobrar e fiscalizar o trabalho”, concluiu. Para ele, é importante estreitar as relações da Câmara de vereadores com os cafeicultores, afinal a marca do município é o café.

A CAFEICULTURA E A CÂMARA SETORIAL DO CAFÉ

A cafeicultura tem um forte potencial a ser aproveitado, basta organizar e articular todos os elos que integram o segmento e podem alavancar um processo de crescimento e desenvolvimento potente e sustentável do mercado cafeeiro.

A Câmara Setoriai precisa ter apoio para a promoção da produtividade e do desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e o estímulo do empreendedorismo. Tais ações promoverão a melhoria da qualidade, produtividade e a gestão da atividade caffeira, visando a elevação da margem de ganhos na comercialização e sustentabilidade dos empreendimentos rurais.

Vamos levar o produtor há ter uma alta capacidade de agregação e, além de trazer propostas para estimular os produtores, disseminando o conhecimento desenvolvido em conjunto com os demais elos da cadeia, buscando a integração entre todos os agentes, visando criar um segmento cada vez mais forte, do campo ao consumidor.

Texto: Acácia Cavalcanti
Assessoria de imprensa