Cerimônia de premiação da 5º edição do Concafé vai acontecer de forma online no dia 6 de novembro

O 5º Concafé será transmitido através de uma live ao vivo pelos canais oficiais da Seagri

A cerimônia de premiação da 5ª edição do Concurso de Qualidade e Sustentabilidade do Café de Rondônia (Concafé), maior concurso de café robusta do Brasil, ocorrerá no dia 6 de novembro, em Cacoal. Em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o 5º Concafé será transmitido através de uma live ao vivo pelos canais oficiais da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), das 10h às 12h. A cerimônia também será retransmitida no canal oficial do Governo do Estado, secretarias estaduais e todos os parceiros do evento.

O evento contará com a presença do governador do Estado, coronel Marcos Rocha, secretário da Seagri, Evandro Padovani e patrocinadores, e poderá também contar com a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina. A vinda dela já está na pré-agenda, mas a confirmação se dará nos próximos dias.

De acordo com o coordenador do Concafé, Janderson Dalazen, a Seagri juntamente com os parceiros, tiveram que reinventar uma nova forma para manter a proposta do Concafé 2020. “Neste contexto veio a proposta de fazermos a cerimônia de premiação, que é a parte mais calorosa do concurso, no formato digital para não haver aglomeração, respeitando as medidas do decreto de distanciamento social em decorrência da pandemia”, explicou.

Será uma live técnica para divulgar os resultados das premiações, mas ao mesmo tempo descontraída, com atração musical, vídeos contando a história de produção dos cafeicultores, entre outros. Parte da live já foi gravada com a participação dos produtores (protagonistas do evento), e patrocinadores. No decorrer do evento, serão disponibilizadas ferramentas para os cafeicultores participarem ao vivo e mandarem recados.

“O objetivo principal da live é deixar o produtor como protagonista. Estamos preparando esse evento com muito carinho para poder valorizar o trabalho que os cafeicultores fizeram no decorrer do ano de 2020. Agora será o momento final, de entrega dos prêmios”, relatou o secretário da Seagri, Evandro Padovani.

O Concafé é a maior premiação que existe no Brasil para concurso de qualidade de café. Nesta 5º edição, os cafeicultores estão concorrendo a R$ 289 mil em prêmios nas categorias “Qualidade de Bebida” e “Sustentabilidade”, a maior premiação da história do concurso. O ganhador da categoria “Qualidade de Bebida” será contemplado com um trator cafeeiro, no valor de R$ 136 mil. Para o 2º lugar R$ 30 mil em dinheiro e crédito; 3º lugar R$ 15 mil em crédito e 4º lugar: R$ 10 mil em crédito e uma secadora de café, no valor de R$ 98 mil para o cafeicultor ganhador da categoria “Sustentabilidade”.

“Todos os prêmios foram pensados para os cafeicultores melhorarem sua produtividade. É um estímulo para eles continuarem produzindo cafés de alta qualidade e ao mesmo tempo facilitar o trabalho deles no campo”, contou Padovani.

A cafeicultura de Rondônia ainda é considerada jovem comparada com a agricultura nacional, mas nos últimos anos a cultura avançou e tem colocado o Estado no topo nacional, como um dos maiores produtores de café do país. Conforme informou Janderson, o Concafé é um dos responsáveis por este avanço, pois visa valorizar o trabalho dos produtores de café, além de mostrar o potencial da cafeicultura do Estado.

“A população em geral não sabia que a gente tinha um café com tanto potencial e o Concafé possibilitou essa visibilidade. O café hoje é um dos principais produtos da agricultura de Rondônia e do Brasil, e nossos Robustas Amazônicos estão conhecidos nacionalmente por seu potencial em qualidade. Nosso objetivo é fortalecer muito mais o setor nos próximos anos”, disse Dalazen.

Nesta edição do Concafé, 103 amostras foram classificadas como cafés especiais, com mais de 80 pontos, resultado histórico para Rondônia. “Foi surpreendente este resultado, foi o dobro do que tivemos no ano passado. Isso mostra que os produtores sabem o que estão fazendo e que aprenderam a fazer qualidade”, relatou o coordenador.

Janderson está animado e contou que a expectativa para o evento é grande. “Nós temos o ponto negativo de não poder fazer o evento presencial, devido à pandemia, mas ao mesmo tempo, a gente entende que um evento virtual possibilitará que muitas pessoas que não teriam condições de participarem presencialmente, participem. O engajamento e a visibilidade pode ser muito maior e acreditamos que vai acontecer isso”, concluiu Janderson. (SecomRO)