Governo de Rondônia ainda não definiu plano de vacinação contra Covid-19

Compartilhar
Foto Ilustrativa

Sesau explicou que precisa saber qual vacina o Ministério da Saúde vai enviar para então programar calendário de imunização. Até o momento nenhuma vacina foi aprovada no país.

O Governo de Rondônia informou na manhã desta segunda-feira (7) que ainda não tem um plano estadual de vacinação específico contra Covid-19. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) explicou que precisa saber qual vacina será incorporada pelo Governo Federal para então programar um calendário de imunização. Até o momento nenhuma vacina foi aprovada no país.

“Não temos como fazer um plano sem saber, por exemplo, a temperatura da vacina. Umas têm que ser armazenadas em 70ºC negativos, outras já devem ser armazenadas em temperatura positiva. Não temos como ter um plano específico para Covid-19. Já temos outras vacinas, que funcionam muito bem em Rondônia. Não temos como fazer esse plano sem saber: qual vacina vamos receber, qual será a quantidade e que dia vai chegar”, consta na nota enviada pela Sesau.

Também foi informado ao G1 que o Governo ainda não fez contato com empresas fornecedoras de vacina contra o novo coronavírus, como a produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Essa está na terceira fase de teste, em que a eficácia precisa ser comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Quanto aos grupos prioritários, a Sesau diz que eles serão determinados pelo Ministério da Saúde.

Já quando se tratam dos insumos, a secretaria confirmou que há estoque de seringa e agulha e que o Ministério da Saúde vai disponibilizar maior quantidade, se for necessário.

Pandemia no estado

Rondônia registra, desde o começo da pandemia, 82.909 casos confirmados de Covid-19 e 1.596 mortes provocadas pela doença, segundo último boletim de saúde divulgado pela Sesau e Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), no domingo (6).

Atualmente há 1.040 testes esperando resultado no Laboratório Central de Rondônia (Lacen). E 315 pacientes internados nos hospitais estaduais e privados.

Projeções

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse na manhã desta segunda (7) que espera ter até o fim de 2021 cerca de 150 milhões de brasileiros vacinados contra a Covid-19 em todo o país. No entanto, Mourão não mencionou a vacina de qual fabricante será utilizada e nem detalhou o plano de imunização.

O número citado por Mourão é superior aos 109,5 milhões de pessoas citadas pelo Ministério da Saúde em 1º de dezembro. O vice-presidente não explicou a divergência.

O governo de São Paulo declarou que o plano de vacinação com a CoronaVac começa no dia 25 de janeiro. O primeiro grupo a receber a vacina contra o coronavírus engloba profissionais de saúde, indígenas e quilombolas de todo o estado.

O Ministério da Saúde já divulgou, no início do mês, os primeiros pontos da estratégia “preliminar” para a vacinação da população contra a Covid-19. De acordo com a pasta, o plano será dividido em quatro etapas.

Compartilhar