Senadora Maria Elisa pode ser a nova opção do MDB ao governo de Rondônia

Nova opção

O MDB tem uma nova e interessante opção para a disputa do governo de Rondônia no ano que vem. Trata-se da senadora Maria Elisa que substituiu recentemente o senador Confúcio Moura no Congresso e já começou sua peregrinação pelo estado. Caso ocorra impossibilidade de o ex-governador assumir a candidatura ao CPA Rio Madeira, desde já a empresária surge como alternativa para o partido cujas bases rejeitam uma nova aventura com Maurão de Carvalho, grande decepção nas urnas no pleito passado e figura já carimbada no meio político rondoniense.

A conveniência

Per falar em Maria Elisa o MDB chutou para o ano que vem uma definição sobre sua chapa ao governo do estado e ao Senado. O partido vê boas possibilidades de lançar uma mulher na disputa. Enquanto isto, para a cadeira ao Senado, dois nomes seguem sendo cogitados nas entranhas da sigla: o ex-governador Valdir Raupp (Rolim de Moura) e o ex-presidente da Assembleia Legislativa Maurão de Carvalho (Ministro Andreazza). Por sua vez, o licenciado senador Confúcio trabalha na pacificação da legenda e prospectando as possibilidades do MDB para 2022.

Para aguardar?

A orientação da articulação do presidente Jair Bolsonaro para suas bases é no sentido de aguardar sua definição partidária, o que deve ocorrer nos próximos dias. Com isto a briga pelo controle do União Brasil, fruto da fusão do PSL – cuja metade é bolsonarista – com os Democratas poderá arrefecer um pouco. Existem disputas em 9 estados, entre eles, Rondônia cujos grupos políticos reivindicam para si o comando da nova legenda. As possibilidades, na troca de sigla de Bolsonaro são inúmeras, o próprio União Brasil, o PP, o PTB e existem ainda outras legendas cogitadas para ele tocar seu projeto a reeleição.

Fazendo as contas

Deputados federais e senadores bolsonaristas do PSL já comunicaram as lideranças nacionais do novo partido Luciano Bivar e ACM Neto que vão permanecer no União do Brasil, desde que liberado o apoio para o projeto de reeleição do atual presidente. O acordo está fechado. Os parlamentares do PSL e do DEM aficionados do bolsonarismo fizeram as contas e optaram pelo maior quinhão do Fundão Eleitoral, é isto são quase 1 bilhão, que será destinado ao maior partido do Congresso Nacional, no caso o União Brasil. Fora do novo partido eles perderiam a mamata.

Via Direta

*** Com a pandemia do coronavirus desacelerada as associações começam a planejar a realização das feiras agropecuárias pelo estado*** Os eventos são importantes para turbinar a economia do pujante interior rondoniense, principalmente nas regiões de Ariquemes, Ji-Paraná e Vilhena*** A incidência da malária volta incomodar em Rondônia com os casos se multiplicando nesta transição entre o verão e o inverno amazônico. Haja carapanãs chiando perto dos canais e igarapés*** O portal do Diário está reforçando as suas paliçadas para novas jornadas*** O ex-governador Ivo Cassol (PP) está convicto que estará a salvo das amarras da justiça eleitoral para disputar o governo de Rondônia no ano que vem*** Sendo verdade, vai largar como franco favorito.

O autor é jornalista e articulista política do Diário da Amazônia

Artigo anteriorQuase 30 m³ de toras de ipê transportadas ilegalmente são apreendidas em Espigão do Oeste, RO
Próximo artigoRondônia é fundamental para “negócios da floresta”